Como fazer um bom treinamento para equipe de restaurante? - Blog da Casa Magalhães

Como fazer um bom treinamento para equipe de restaurante?

Autor: Casa Magalhães Assunto: Data: 03/05/2018
Como fazer um bom treinamento para equipe de restaurante

Há quem diga que atender bem é uma arte. A gente não discorda! Mas o que ninguém geralmente conta é que um bom treinamento para equipe de restaurante pode ser o segredo do sucesso. A qualificação do time eleva o nível da prestação de serviços e engajar o cliente em prol da fidelização.

Diante de tantas obrigações diárias que passam pela mesa do gestor, gerenciar o pessoal é uma tarefa que pode acabar negligenciada. Para facilitar o trabalho e tornar o seu time imbatível, selecionamos dicas valiosas. Confira!

A importância do treinamento

Quando o cliente adentra o restaurante, está de olho na qualidade dos pratos, na tabela de preços e na ambientação. Mas as exigências que tornam um estabelecimento atraente para o consumidor não param por aí — e o atendimento encabeça a lista.

Nos números divulgados em 2016, a Accenture mostrou o quanto a satisfação do cliente é essencial para a saúde financeira e longevidade de uma organização: só no ano anterior à pesquisa, as companhias brasileiras perderam cerca de R$ 217 bilhões de dólares por conta de serviços mal prestados.

Por conta do mau atendimento, demonstrado no estudo, 86% da clientela migrou para os concorrentes. A evasão do público poderia ter sido evitada em 92% dos casos, por meio de treinamentos.

A Accenture traçou um bom panorama das ações que podem evitar a debanda dos consumidores. Para solucionar o quadro negativo, as empresas deveriam apostar em atendimento de qualidade, na resolução eficiente de problemas e na captação de clientes.

A nova face do mercado

Já reparou que o mundo mudou? Com a popularização da Internet, especialmente após a chegada dos smartphones e tablets, o consumidor se tornou mais criterioso. Isso porque os recursos digitais tornam mais fácil encontrar o que se quer com apenas alguns cliques.

Então, se o cliente está atrás de um restaurante na região, é só abrir o buscador e diversas opções vão surgir. Para se destacar em um cenário tão competitivo, seu negócio precisa investir no diferencial competitivo.

O diferencial da marca é aquilo que a distingue das concorrentes, agregando valor ao serviço. Aqui, é preciso separar os conceitos de preço e valor, que muitas vezes são aglutinados.

O preço é aquele que está no cardápio, é o quanto o consumidor precisa desembolsar para consumir no seu estabelecimento. Já o valor tem caráter subjetivo, mais associado às vantagens que estão embutidas no serviço do restaurante.

Quem agrega valor a um serviço ou produto é o próprio cliente, quando ele preza pelo bom atendimento, agilidade dos colaboradores, resolução de problemas ou pela variedade do cardápio, por exemplo. E o treinamento para equipe de restaurante é o que permitirá qualificar seu time para gerar valor ao negócio.

Como fazer um bom treinamento para equipe de restaurante

O treinamento em um restaurante não pode ser raso. Caso um dos setores esteja em desalinho com os demais, todo o funcionamento do estabelecimento pode ficar comprometido. Mas por onde começar? Quais áreas merecem atenção no treinamento? A gente explica:

1. Segurança

Não há como iniciar um treinamento para equipe de restaurante sem tocar na segurança, ponto crucial para garantir a longevidade de uma empresa do ramo alimentício e assegurar a saúde dos funcionários e clientes. Os processos legais, inclusive, fazem uma forte cobrança nesse aspecto.

O gestor deve estar ciente das Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego para realizar os procedimentos de segurança. Ao menos um membro do time deve ser treinado em prevenção a incêndios, acidentes e emergência médica.

O restaurante não pode deixar os alertas de fora na montagem do layout. Portanto, áreas quentes, pontos escorregadios, chão molhado e corredores de tráfego devem estar indicados para facilitar a circulação segura de clientes.

2. Higiene

Como no caso da segurança, há regras claras que regem a higiene no restaurante, definidas pela Anvisa. Cozinheiros, chefes de cozinha e o time que prepara os pratos devem obrigatoriamente ser treinados para manipular os alimentos.

Preferencialmente, todos os colaboradores devem estar cientes das normas da Anvisa, assim todos passam à vez de fiscais. Isso otimiza a qualidade do atendimento e assegura a saúde e satisfação do consumidor. Portanto, a dica é treinar toda a equipe.

Vale passar algumas dicas básicas para os funcionários: manter comidas frias e quentes distantes umas das outras, utilizar produtos de limpeza que não sejam tóxicos, manter o uniforme e elementos de proteção, conferir o ponto dos alimentos servidos e não manter o lixo no local de preparo.

3. Atendimento

Embora a legislação não estipule uma obrigatoriedade na qualificação do atendimento do consumidor, esse tópico não pode ficar de fora do treinamento para equipe de restaurante. Ao treinar o time, vale ensiná-lo a lidar com os tipos mais comuns de clientes:

Cliente tímido

Com esse consumidor, a aposta deve ser na proximidade, mas sem invadir seu espaço. Os funcionários podem fazer sugestões, mostrar-se à disposição do cliente e usar a simpatia para deixá-lo confortável.

Cliente agressivo

Hora de manter a calma! Ainda que o consumidor se exalte, a linguagem deve ser polida. A equipe deve evitar erros nas previsões dos pedidos, falhas no momento de tomar notas e deve sempre checar para conferir se os pratos estão corretos antes de levá-los à mesa.

Cliente comunicativo

Há aqueles consumidores que adoram bater papo. A simpatia é bem-vinda, mas o time precisa aprender a se desvencilhar desses clientes caso a conversa se estenda muito, ou o atendimento dos demais consumidores pode ser prejudicado.

Deficiente visual

Para atender a um deficiente visual, um cardápio em braile é essencial. Dar atenção é necessário, mas cuidado para não pecar pelo excesso: nenhum consumidor quer ser tratado como criança; basta dar descrições detalhadas dos pratos e mostrar-se à disposição.

Deficiente físico

A equipe deve se preocupar com a circulação desse cliente. O ideal é alocá-los o quanto antes em uma mesa e prezar por posicioná-lo de forma a facilitar seu tráfego no restaurante sem obstáculos.

4. Sistemas e processos

As soluções tecnológicas facilitam o trabalho no restaurante, seja com os sistemas de pedidos e pagamentos ou com os softwares de gestão financeira e organização de estoques. Mas, sem uma equipe qualificada, fica difícil aproveitar todas as vantagens agregadas pelos aplicativos.

O ideal é treinar o pessoal nos módulos que são realmente utilizáveis para seu trabalho. Se o colaborador utiliza mais funcionalidades de um software ou mesmo mais de um software, é ideal que domine o que for necessário para o desempenho de sua função.

Os sistemas digitais criam uma estrutura de processos organizada. No entanto, a equipe precisa estar apta a operar em um esquema de produção. Já imaginou se uma instabilidade no sistema acontece e todo o restaurante interrompe o funcionamento?

Seja qual for o tipo de treinamento para equipe de restaurante aplicado no seu estabelecimento, o raciocínio deve ser o de linha de produção. Assim, a identificação de falhas e a resolução de problemas são otimizadas. A equipe torna seu trabalho mais automático e natural.

Viu como é importante realizar um treinamento para a equipe do seu restaurante? Tão importante quanto manter a equipe atualizada é otimizar as tarefas por meio da automação. Saiba mais e aprenda a utilizar a tecnologia a favor do seu negócio e aproveite para assinar a nossa newsletter preenchendo o formulário abaixo!


Compartilhe:

Outros Artigos Relacionados

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.