4 indicadores de desempenho no varejo que você precisa acompanhar

Autor: Casa Magalhães Assunto: Data: 03/07/2019

Os indicadores atendem ao propósito de oferecer ao gestor o controle das diversas variáveis do negócio. Nesse conteúdo vamos lhe apresentar alguns indicadores de desempenho no varejo que são fundamentais para dar respaldo e segurança às suas decisões estratégicas, táticas e operacionais.

Ter métricas de controle, os KPIs (Key Performance Indicators), é a chave para você obter maior eficácia nas decisões, ter controle global e setorial de desempenho, estruturar as políticas corretas, reduzir custos, otimizar a utilização dos recursos, ganhar competitividade e ter uma melhor gestão do tempo, inclusive no que diz respeito à vida pessoal, tantas vezes prejudicada pelas exigências impostas a quem decide investir no varejo.

Se você não vê a hora de obter todos esses benefícios, se busca agilidade e eficiência na gestão do seu varejo este artigo é para você. Siga em frente e boa leitura!

1. Lucratividade

Um erro comum de muitos gestores, é focar no volume e não na lucratividade das vendas. De nada adianta você vender muito com uma margem espremida. Isso demandará maior esforço e gera resultados menores.

A forma mais simples de medir a lucratividade é fazendo o cálculo mensal. Para obter esse indicador, você deve somar todos os custos do período, incluindo o custo das mercadorias, logística, pessoal, impostos, despesas administrativas, operacionais e de marketing. Depois, basta confrontar esses gastos com o faturamento em vendas.

O ideal é que você inclua nesse cálculo somente o custo das mercadorias vendidas, obtendo uma visão mais realista. É importante, também, incluir no cálculo o custo do desperdício, que abrange a mercadoria perdida, seja por que passou da validade ou por outras razões. 

Caso você constate que a lucratividade é baixa, insuficiente para gerar capacidade de investimento e — por que não? — satisfação pessoal, é hora de rever suas políticas de varejo.

Outro caminho recomendável é trabalhar em cima de relatórios de lucratividade setoriais, que oferecerão uma visão mais tática da situação. Você pode obter relatórios de lucratividade por:

  • produto;
  • dia da semana;
  • horário;
  • operadora de cartões;
  • cliente.

Esse é um cálculo mais complexo, porque você precisará ratear o custo.

Para ficar mais claro, vamos exemplificar: suponhamos que você deseje calcular a lucratividade por dia da semana. Basta você dividir o seu custo total no mês pelo número de dias trabalhados. Assim você terá o custo diário, que poderá ser confrontado com o faturamento de cada dia especificamente.

2. Giro de estoque

Esse é, provavelmente, o segundo indicador mais importante no varejo, porque o estoque é uma das principais variáveis estratégicas do negócio. Há diversas razões para você fazer um controle rígido do giro do seu estoque. Vamos a elas?

  • Garantir que não faltem itens na prateleira;
  • evitar encalhe e perda de mercadorias;
  • fidelizar clientes;
  • ser competitivo perante a concorrência;
  • aumentar a lucratividade do negócio;
  • melhorar o giro;
  • fazer uma gestão mais eficaz das compras;
  • identificar a necessidade de fazer campanhas de descontos e cross merchandising.

Repare que o controle do giro do estoque é tão importante que alimenta até mesmo decisões de marketing, caso das campanhas de descontos e cross merchandising.

Permitir ruptura de estoque, é o caminho mais curto para você criar oportunidades para a concorrência e deixar de fidelizar seus clientes — a explicação é óbvia: se o cliente não encontra o produto na sua loja, padaria ou supermercado, ele vai procurar no estabelecimento comercial do seu concorrente.

Além disso, garantindo o giro do estoque e reduzindo o ciclo de vida da mercadoria, você reduzirá o desperdício e os custos com aquisição, poderá melhorar o planejamento, qualificar o fluxo de caixa e aumentar a lucratividade.

Dica: Como calcular a rotatividade de estoque?

3. Ticket Médio por cliente

Você sabe quem são seus melhores consumidores, aqueles que mais contribuem para o sucesso do seu negócio? Na medida em que o consumidor faz cada vez menos uso do dinheiro e cada vez mais dos cartões, é possível identificar o ticket médio por cliente e saber quem gasta mais e melhor no seu estabelecimento.

  • Quantas vezes por mês esse cliente faz compras no seu varejo?
  • Quanto ele gasta em cada compra?
  • Qual o ticket médio por cliente no seu comércio?
  • Como esse cliente está posicionado em relação ao ticket médio?

Respondendo a essas perguntas, poderá identificar quem são os seus melhores clientes e fazer uma segmentação de sua base. A segmentação permite que você gere políticas específicas para cada segmento, seja para mimar os seus consumidores premium, seja para criar políticas para estimular o aumento do consumo daqueles que possuem potencial de contribuição.

4. Vendas

O volume de vendas deve ser controlado através de relatórios comparativos diários, semanais e mensais. É com base nesses acompanhamentos que os gestores poderão aferir o sucesso das políticas promocionais e a sazonalidade, assim como confirmar se as metas estabelecidas estão sendo alcançadas.

Com o relatório de desempenho de vendas em mãos, é possível identificar os pontos falhos e desenvolver planos para revertê-los, como medidas corretivas e promocionais para alinhar os resultados às metas traçadas.

Dica: Conheça os 7 passos para definir metas de vendas de maneira eficiente!

Automação como chave para obter bons indicadores de desempenho no varejo

Não basta definir indicadores de desempenho, é preciso que a sua empresa desenvolva mecanismos para obtê-los. Mais que isso, é fundamental que esses mecanismos sejam ágeis, que diminua as tarefas burocráticas e de alimentação de dados. É aqui que entra a automação de processos e a escolha de uma ferramenta de TI que atenda às necessidades típicas do seu negócio.

Sabemos que o setor de varejo requer um controle rígido do giro de estoque e de mercadorias na prateleira, assim como do volume de vendas, custos, lucratividade, sazonalidade, variáveis financeiras e de marketing. A grande exigência dos dias atuais, e você já deve ter percebido isso, é a agilidade nas decisões. 

Cada vez mais, as empresas optam por softwares em nuvem, que conferem flexibilidade, mobilidade e agilidade à gestão da rotina da sua empresa. Você pode acompanhar as variáveis estratégicas do seu negócio em tempo real e de qualquer lugar, podendo, assim, reagir rapidamente às demandas gerenciais.

A exigência que se impõe é o gerenciamento 24 horas do negócio, principalmente em se tratando de varejo — quem nos garante essa possibilidade são os indicadores de desempenho.

Chegamos ao final deste artigo e a expectativa é de que ele tenha sido útil. Antes de concluir, porém, há uma dica importante, que poucos estabelecimentos praticam. Trata-se de medir o índice de satisfação do cliente, esse é um dos indicadores mais poderosos para a geração de estratégias empresariais.

Trabalhe todos os indicadores de desempenho no varejo, mas não deixe, também, de perguntar ao seu cliente o que ele acha do seu atendimento, do ambiente, das condições de higiene, das opções de pagamento e do seu mix de produtos. Ninguém melhor do que aqueles a quem você atende para indicar o que pode ser melhorado.

Assine a nossa Newsletter e receba em seu e-mail nossos conteúdos! Até a próxima!


Tags:
Compartilhe:

Outros Artigos Relacionados

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.