Será que existe um perfil empreendedor? Descubra agora!

Autor: Sara Edwiggers Assunto: Data: 3 de outubro de 2018
Será que existe um perfil empreendedor Descubra agora!

Você é um empreendedor? Vou reformular a pergunta, você se considera um empreendedor? 

Ao colocar no google imagens a palavra “empreendedores” é fácil se deparar com fotos estereotipadas, mulheres com roupas sociais e homens de terno e gravata, ambos em um ambiente formal. Não que isso não exista ou esteja errado, mas atualmente a realidade do empreendedorismo no país é bem diferente, principalmente graças ao crescente número de micro-empreendedores que têm  transformado essa realidade.

Mas afinal, eu sou empreendedor?

Antes de responder essa pergunta vamos ver o que diz o Sebrae sobre o que é ser empreendedor:  

“Ser empreendedor significa, acima de tudo, ser um realizador que produz novas ideias através da congruência entre criatividade e imaginação. O empreendedor, em geral, é motivado pela auto realização e pelo desejo de assumir responsabilidades e ser independente.”

Não importa se você tem uma mercearia, se possui um carrinho de cachorro – quente, ou é dono de uma rede de restaurantes, você é um empreendedor.  Pois não existe um perfil empreendedor, o que existe é uma série de atitudes empreendedoras, e é sobre elas que iremos falar nos tópicos abaixo. Fique atento para não deixar passar nenhum detalhe.

O Effectuation

Pra você entender bem o que será abordado a seguir, vou lhe apresentar o Effectuation, uma ferramenta criada através de estudos da indiana Saras Sarasvathy.

Através de suas pesquisas de doutorado, a professora de negócios da Universidade de Virgínia nos Estados Unidos, queria entender as fases de um empreendedor, independente do sucesso ou fracasso do mesmo, com o intuito de compreender os aprendizados que a pessoa teve nesse processo e de saber o que faz com que um empreendedor seja um empreendedor.

Para isso, 45 empreendedores foram estudados, e ela concluiu que, ao contrário do que dizem as teorias tradicionais, os empreendedores não são pessoas incomuns, sortudas, e não começam com idéias brilhantes ou insights e previsões extraordinárias. O Effectuation mostra que qualquer um pode empreender, basta utilizar o que já tem a sua disposição, Saras afirma que esses empreendedores “começam como eu ou você poderíamos começar: com quem são, o que sabem e quem conhecem”.

Mas porque o Effectuation?

Independente da fase que esteja sua empresa, seja no começo, ou em um período de consolidação no mercado, com certeza ainda existem projetos que não foram tirados do papel, os princípios desta ferramenta vão lhe guiar nessa jornada.

Os 5 princípios do Effectuation

1° Pássaro na mão

Ao invés de esperar a oportunidade perfeita você pode começar ainda hoje com o que tem. Segundo Saras é importante fazer essas 3 perguntas:

  • Quem eu sou?

Aqui você pode citar suas características, gostos, habilidades, tudo aquilo que faz você ser quem é hoje.

  • O que eu sei?

Ou seja, quais recursos você tem, o que você sabe fazer bem.

  • Quem eu conheço?

Isto é, qual sua rede de contatos?

Essas perguntas são a ponta do iceberg para definir os primeiros passos a serem dados, seja na abertura ou expansão da sua empresa, ou até mesmo em algum projeto ou produto novo que você queira implementar.

Muitas pessoas acham que para empreender precisam ter uma ideia inovadora, algo jamais visto, mas você pode começar com algo simples, por exemplo, tem gente que é dono de doceria porque começou vendendo brigadeiro na faculdade.

Caso você já tenha seu foodservice ou mercearia, pode começar identificando os principais problemas que enfrenta em seu estabelecimento e ver formas de melhorá-los, são atitudes simples que vão fazer toda diferença.

2° Faça do limão uma limonada

Se você já estiver tentado e não deu certo, tudo bem, o fracasso faz parte do processo, entender isso é fundamental, pois errar não é o fim do mundo.

Em uma palestra assisti há pouco tempo sobre empreendedorismo, a palestrante disse algo que me chamou a atenção: “Empreendedores que acumulam fracassos normalmente são os mais bem sucedidos, pois ganharam musculatura empreendedora”.

Quer prova disso? Procure a história do Steve Jobs e Walt Disney, são pequenos exemplos de pessoas que souberam dar a volta por cima. Tenho certeza que você conhece muitas outras histórias inspiradoras, talvez a sua história seja um bom exemplo. Podemos citar como exemplo muitas pessoas, que diante da crise no Brasil, ficaram desempregadas e acabaram abrindo seu próprio negócio.

3° Perdas toleráveis

Gaste apenas o que puder. Um empreendedor sempre está fazendo escolhas, consequentemente ele sempre está abrindo mão de algo. Nesse princípio, a professora nos induz a questionar o que estamos dispostos a perder, e até onde estamos dispostos a ir sem desistir.

4° Lençol de retalhos

Forme parcerias. Nesse princípio vale ressaltar a importância do bom relacionamento com seus funcionários, fornecedores, clientes e até mesmo com seus concorrentes. Aqui faz todo sentido a frase: “ A união faz  força”.

Estar atento ao retorno do cliente é muito importante, pois a partir dele pode surgir “insights” que auxiliem a modelagem do seu negócio.

5° Piloto de avião

“Foque em atividades sob seu controle e cocrie o futuro.”

Confiar naquilo que faz é característica de um bom empreendedor, se um piloto de avião não confia na sua capacidade de pilotar uma aeronave, algo pode dar errado.

Por mais imprevisível que o futuro seja, é preciso que você o construa baseado no que sabe fazer, não simplesmente pela notícia que saiu no jornal ou no que os economistas falam.

Vou compartilhar com você uma experiência pessoal,  que vai exemplificar melhor o que eu falei. Quando adolescente eu queria muito fazer um teste para uma determinada seleção, nunca fiz, pois todo mundo dizia que era muito difícil e que só os melhores passavam. 5 anos depois de ter concluído o ensino médio, resolvi fazer essa prova. Confesso que fiquei triste por ter visto o quão fácil ela era, e percebido que se tivesse feito anteriormente com certeza teria passado. Mesmo não tendo estudado quase nada, ainda fui uma das primeiras na lista dos classificáveis, mas como ninguém desistiu, eu não consegui entrar.

Espero ter conseguido passar para você aquilo que eu queria, como empreendedor certamente você ouviu várias vezes que algo não era possível, mas por acreditar que era capaz foi lá e fez. 

A você empreendedor, deixo uma mensagem que gosto muito:

 “Não importa o quão rápido você anda, mas a força de vontade para nunca parar” – Confúcio

Quer continuar sendo um empreendedor bem informado? Assine agora mesmo nossa Newsletter!


Compartilhe:

Outros Artigos Relacionados

Comentários